Responsabilidade social é compromisso do Clube de Trilheiros Bananalama

O Clube de Trilheiros Bananalama é mais que um grupo apaixonado por motos. Seus sócios são entusiastas da pequena cidade de 15 mil habitantes onde vivem, Corupá (SC). E por isso, mantém um firme compromisso de responsabilidade social e ambiental, realizando uma série de ações desde a sua fundação, em 2003.

A última aconteceu há menos de um mês; foi a doação de uma minimoto Pro Tork TR50F para a Associação de Bombeiros Voluntários de Corupá. Segundo a voluntária Kamille Rainiak, “o donativo servirá como prêmio para uma rifa, com o objetivo de arrecadar fundos para a corporação”.

Além dos Bombeiros, entidades como Polícia Militar, APAE, Centro de Recuperação Padre Aloísio Boieng e Creche Dona Nina já receberam o suporte dos trilheiros. A comunidade do bairro Bomplandt foi beneficiada com a construção de uma capela na sede do Clube. Ações ambientais, como recuperação da mata ciliar e plantio de árvores também podem ser destacadas.

O presidente do Clube de Trilheiros Bananalama, Fábio Espíndonla, fala com orgulho da contribuição para com o município. “Fora a promoção do evento, que reúne milhares de pessoas e movimenta a economia local, sempre estamos atentos para ver de que forma podemos contribuir, é gratificante ajudar nossos semelhantes”, afirma.

Sobre o Bananalama: O Bananalama é considerado o maior encontro de trilheiros do mundo, fato oficializado pelo Guinness World Records em 2013, com 3.312 participantes. O evento surgiu em 2004, na cidade de Corupá (SC), organizado pelo Clube de Trilheiros Bananalama, um ano após a sua fundação. Desde o início, o objetivo foi reunir os amantes da modalidade numa grande festa, proporcionando momentos únicos de descontração em meio a natureza. Em dez edições, o Bananalama registrou mais de 18 mil participantes, número maior que a população da pequena cidade, que é de cerca de 15 mil pessoas. Em 2017 ele acontece entre os dias 6 e 9 de julho, com a promessa de um novo recorde.


FONTE: ASSESSORIA